Como desligar do trabalho nas férias


17 Agosto 2021

NAS FÉRIAS:

5 – Dar folga ao telemóvel

Isto é, provavelmente, o melhor que pode fazer por si nas férias: dê umas férias ao telemóvel. É verdade que ele não é sinónimo de trabalho. Usamo-lo para tudo e mais alguma coisa, desde falar com a família e amigos, tirar fotos, gps, ler notícias ou simplesmente espreitar as redes sociais. Mas essa dependência excessiva é o que faz com que seja mais fácil cometermos um deslize do género “deixa-me só ver rapidamente a caixa de correio” ou “responder a este email”.

Até já há um nome para este fenómeno: o FOMO (“fear of missing out”), o medo de ficar de fora, de perder alguma coisa neste mundo em velocidade acelerada. Sentimos que temos de acompanhar tudo: os posts dos nossos amigos, as intermináveis mensagens nos grupos de whatsapp, os convites nas redes, as notícias que saem a toda a hora. E, claro, o FOMO relativo ao trabalho qunando estamos fora.

Se quer mesmo desligar nas férias, comece por desligar todas as notificações do seu telemóvel e, de preferência, mantenha-o sem som todo o dia ou sempre que possível. É menos uma fonte de distracção. O ideal seria mesmo aproveitar as férias para iniciar uma espécie de dieta tecnológica. Sim, pode ser muito giro partilhar no facebook ou no instagram as fotos na praia ou no restaurante. Mas melhor que isso não será estar ocupado a vivê-lo?

6 – Se for MESMO necessário, definir uma hora para trabalhar

Se em 90% dos casos, é mesmo a nossa cabeça que não nos deixa desligar do trabalho, haverá uns 10% em que realmente não podemos desligar. Seja porque acabámos de lançar um negócio próprio, porque somos responsáveis por um grande projecto ou por outro motivo qualquer (justificável!).

Se assim for, e se não houver mesmo maneira de o evitar, defina um bloco de tempo no seu calendário de férias para estar a trabalhar. Pode ser uma manhã por semana, uma hora, ou apenas 10 minutos ao fim do dia, enfim, o que resulte para si. Sem exageros. Tente que seja o mínimo de tempo possível, mas que esteja verdadeiramente concentrado, para ser mais produtivo e não deixar esticar o tempo de trabalho. Se sentir que tem tendência em deixar derrapar, peça ao seu companheiro(a) ou a outra pessoa que o responsabilize e o chame à atenção quando estiver a exceder os limites.

7 – Planear actividades estimulantes

Claro que não devemos encher as férias com um calendário de actividades que não nos deixam tempo para relaxar e descansar. Mas se o seu problema é desligar do trabalho durante as férias, por vezes ter demasiado “tempo livre” não ajuda nada, sobretudo se tiver uma personalidade que necessita de estimulação constante. É provável que naqueles “momentos mortos” acabe por ceder à tentação de espreitar emails ou, simplesmente, de pensar no trabalho que deixou para trás e no que vai ter de fazer quando voltar.

Ocupar a agenda das férias com actividades estimulantes e divertidas, seja sozinho ou em família, ajuda a manter o foco.

8 – Realizar uma pequena prática diária

Durante as férias, escolha uma actividade ou pequena prática para realizar todos os dias e que lhe traga o sentimento de realização pessoal, alegria e foco mental. Pode ser uma caminhada na praia, 15 minutos de meditação, ler um capítulo de um livro, preparar um bom pequeno-almoço, fazer um passeio em família, etc.

Realizar todos os dias uma pequena prática de auto-cuidado vai ajudá-lo a relaxar, a desligar mais facilmente do trabalho e a tirar mais partido das suas férias. Escolha para prática algo que gostaria de incorporar na sua rotina diária pós-férias. Pode até ser algo que já tentou anteriormente, mas que acabou por desistir por achar que não tinha tempo, no meio do stress do trabalho e dos afazeres em casa.

Se fizer desta prática de auto-cuidado uma prioridade quando está de férias, será muito mais fácil conseguir integrá-la na sua rotina diária quando regressar.

É muito facil sucumbirmos ao mito da cultura empresarial moderna de que temos de ser pessoas extremamente ocupadas e constantemente disponíveis, e de que é isso que faz de nós um trabalhador exemplar. Mas, na realidade, andar a mil e não ter tempo para relaxar e recuperar não faz de nós melhores trabalhadores. Muito pelo contrário. Facilmente conduz a menor produtividade, foco, criatividade e motivação.

As férias podem ser um bom momento para tentar contrariar isso. Mas não podem ser o único. Para muitas pessoas, o problema não é não conseguirem desligar nas férias, mas não conseguirem desligar nunca. E isso só significa que precisamos ainda mais de desligar: não só uma ou duas vezes por ano, mas todos os dias um bocadinho.

Artigo originalmente publicado no site do Jornal Público

Photo by Rafael Cisneros Méndez on Unsplash