Depois das férias, como voltar a entrar na linha


1 Setembro 2021

4 – Descomplicar, descomplicar

As páginas ou blogues sobre alimentação saudável podem ser uma óptima fonte de inspiração, mas também de pressão. Passamos a vida a ver fotos maravilhosas de pratos saudáveis, com um aspecto delicioso, e depois não é isso que temos à nossa frente no prato, na maioria dos dias.

O meu conselho é: “keep it simple”. Deixe as receitas com infindáveis ingredientes para os dias em que realmente tem tempo (e paciência) para perder algumas horas na cozinha. Não se perca demasiado neste mundo. Há demasiada informação. Se quiser procurar receitas, escolha as mais simples, que se adaptem ao seu estilo de vida, preferências e, claro, aos ingredientes que tem em casa.

As dicas que vou deixar a seguir são todas neste sentido: descomplicar ao máximo e facilitar a nossa vida na cozinha. Há ainda outros factores a ter em conta e outras estratégias que nos ajudam a ter e a manter uma alimentação saudável. Nada disto é um “bicho-de-sete-cabeças” ou apanágio de vidas altamente organizadas. E agora? É desta que as suas resoluções pós-férias vão sair do papel?

Dicas para o dia-a-dia


Use o congelador. Costumo dizer que é um dos meus melhores amigos. Poupa-me imenso tempo na cozinha e ajuda a evitar o desperdício alimentar. Tenha sempre  vegetais congelados já arranjados (bróculos, couve cortada em tiras, cenouras às rodelas, abóbora aos cubos, ervilhas) para os dias em que trabalha até mais tarde e tem menos tempo para cozinhar. Nos supermercados encontra também vários sacos com misturas de vegetais congelados, prontos a cozinhar.

Tenha sempre sopa. É a melhor maneira de iniciar a refeição principal, e isto é válido tanto para as refeições em casa como fora. Não só está a ingerir logo uma boa quantidade de vegetais, como a ocupar espaço no estômago, reduzindo a probabilidade de depois devorar o prato principal. Varie o máximo possível nos ingredientes e experimente novas receitas para não se cansar. Além disso, pode fazer em maior quantidade e congelar em doses individuais, para ter à disposição sempre que não tiver tempo para cozinhar. No Verão, por vezes não apetece tanto comer sopa quente, mas há receitas óptimas de sopas frias, como o gaspacho (e este até já se vende em pacotes no supermercado, portanto não há desculpas!).

Faça uso dos seus aparelhos e utensílios de cozinha para poupar tempo (e aumentar  o consumo de vegetais): se tem um processador de alimentos ou uma picadora, use-a: junte cebola, alho, ervas aromáticas, aipo, cenoura  ou outros vegetais, e pique tudo. Gosto de usar esta base de refogado para uma sopa ou para cozinhar cogumelos e outros vegetais.

Experimente usar só uma única panela/frigideira grande: basta pôr um pouco de azeite ou óleo de coco, refogar cebola, alho, cogumelos, com temperos a gosto, acrescentar a proteína desejada e, na fase final, adicionar os vegetais que quer (bróculos, espinafres, couve, etc). Uma refeição deste género é prática (suja pouca loiça) e rápida (demora menos de 20 minutos a fazer).

✔ Use o forno. Sou fã dos cozinhados no forno. Pode levar a assar um tabuleiro grande com vegetais, sozinhos ou juntamente com uma proteína, e enquanto isso tem tempo para fazer uma sopa, uma salada ou, simplesmente, relaxar. Além disso, fica com acompanhamento para vários dias.

Não tem tempo de manhã para cozinhar? Há muitas opções de pequeno-almoço para deixar feitas no dia anterior, e que dão para a semana (“overnight oats”, muesli, panquecas, pudins de chia, papas de aveia no forno – são apenas algumas sugestões).

Artigo originalmente publicado no site do Jornal Público

Photo by Pineapple Supply Co. on Unsplash